Queimaram uma Obra de Picasso, e agora? - Marco Baptista

01 agosto 2021

Queimaram uma Obra de Picasso, e agora?

 



Uma obra do grande artista Pablo Picasso foi queimada. Em meio a contrariedades, críticas e até protestos, decidi falar um pouquinho a respeito no vídeo acima. Caso você esteja impossibilitado de assisti-lo, segue a transcrição do mesmo abaixo.


----------------------------------------------------------------------------------------------


Olá, tudo bem?


Eu sou Marco Baptista, artista, pesquisador, professor de Artes. Estou aqui para trazer um pouquinho de alguns questionamentos recentes sobre a Arte Contemporânea, a produção artística nestes momentos tão sombrios que estamos vivendo.


No dia 15 agora, quinta-feira, um coletivo de artistas lá nos Estados Unidos resolveu queimar uma obra do Picasso. Isso deu um bafafá muito grande. Pessoas que não são do ramo das Artes andaram questionando, que "ah, onde se viu queimarem um Picasso, isso aí é uma afronta e tal", e eu me senti na necessidade de falar um pouquinho sobre isso. 


Na verdade essa coisa de queimar uma obra não é algo tão novo. Eles não foram tão "ousados" assim. Mas essa obra, só pra gente ter uma ideia, é a obra intitulada "Fumeur", ou fumante, Nº 5, uma obra de Picasso. Ela foi adquirida por este coletivo de artistas por R$ 105 000. É uma bagatela simples de R$ 105 000.


Então, este vídeo deles queimando a pintura do Picasso foi transformado em um NFT. Se você não sabe o que é um NFT, eu não vou explicar, dá um Google e tenta descobrir. 


NFT é você transformar (só pra, de forma bem simples, explicar) uma imagem material em algo digital. Então você transforma, coloca ela num sistema digital e é vendido nesse meio digital com certificado de autenticação, tudo como uma obra válida. 


Isso remete já a esses tempos meio estranhos que estamos vivendo, onde as coisas materiais estão cada vez se transformando mais em objetos efêmeros - na verdade não efêmeros, mas em objetos digitais. E o digital está tomando conta do que antes era material. 


Eu disse no começo que esta obra não foi tão original porque já no começo do ano - ali por março se não me engano - um outro coletivo de artistas, chamado "Injective Protocol", queimou uma obra do Banksy. Banksy é um artista contemporâneo muito conhecido. Já fez obras revolucionárias esse ano, andou causando muito nesses últimos anos. 


Esse NFT também foi criado de uma obra do Banksy sendo queimada. Foi vendida por $382 000 dólares. Ou seja, quatro vezes mais do que o valor que eles compraram, que eles pagaram pela obra.


 Então na verdade nos faz pensar que esta estratégia aí do coletivo que queimou o Picasso é uma forma até de valorizar, transformar essa obra em algo muito mais rentável. Se a obra do Banksy multiplicou 4 vezes o seu valor, quem sabe a proposta deles é essa. 


É uma coisa, são coisas assim que nos fazem questionar principalmente duas coisas: a Arte, ela está sendo transformada apenas em investimento, será? Transformada em moeda, em cripto moeda? Será que este é o futuro da Arte? É a desmaterialização da Arte? Pra que caminho estamos indo?


As coisas que eram fisicas estão se tornando digitais e as coisas estão muitas vezes sendo apenas vistas como uma forma de investimento?


Fica aí a reflexão sobre esses tempos sombrios que vivemos. E se isso é bom ou é ruim, tire as suas conclusões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atualizações do Instagram